Instituto Brasília de Tecnologia e Inovação inicia projeto de Analytics de dados da saúde pública do GDF em parceria com a FAP/DF

blog - Projeto FAP

Em janeiro de 2022, o Instituto Brasília de Tecnologia e Inovação- IBTI , foi contemplado com recursos oriundos da FAP/DF para a implantação de um ambiente de BI como Serviços para apoio às atividades gerenciais da saúde pública do GDF.

O objetivo é promover o uso gerencial da informação em serviços de saúde para a melhoria da qualidade da atenção à saúde no Distrito Federal. Envolve, fundamentalmente, a elaboração de serviços mediadores e de transformação para realizar uma integração dos conceitos de forma a atender não só a agregação / consolidação de dados em regime de inteligência de negócios (Business Intelligence – Bl) – mas também atender a necessidades de saídas gerenciais — bem como suportar relações de transformação de dados visando a coleta e uso em sistemas locais de dados oriundos do Ministério da Saúde; permitindo assim que os elementos da arquitetura sejam fortemente desacoplados, visando o uso de estruturas díspares para atender à solução em ambientes de computação em nuvem.

Segundo o Coordenador Executivo do projeto, Claynor Mazzarolo, PhD e Diretor Presidente do Instituto Brasília de Tecnologia e Inovação- IBTI , como resultado, espera-se a disponibilização de recursos que permitam o estudo e a aplicação prática de técnicas gerenciais para subsidiar a tomada de decisão e aprimorar aos partícipes, na prática, assistencial e até mesmo de suporte ao tratamento de questões de faturamento na área da saúde pública do Distrito Federal. Isso se dará através da composição de dashboards interativos e dinâmicos de visualização de indicadores mais relevantes da área de saúde,

Assim, através dos mecanismos já propostos é possível a formação de comunidade de informações públicas baseadas no resultado do alinhamento e integração das dimensões de informações em uma visão única, e permitindo a consulta dos valores agregados correspondentes as métricas de forma descentralizada (isto é, junto às suas origens), com menor latência na disponibilização de informações entre as partes do que as resultantes das massivas cargas de dados.

Ainda, esse projeto prevê a disponibilização descentralizada de formação de informação pelo uso de dados oriundos do SUS, retirando uma parcela considerável de esforço no atendimento de necessidades pontuais de geração de informações única e exclusivamente sobre a infraestrutura existente nas bases de saúde locais.

Fábio Buiati. Coordenador Técnico de Projetos no IBTI. Projeto Análise de Dados de Saúde do GDF. Blog IBTI, Brasília-DF, 04/05/2022. Projetos de Pesquisa e Desenvolvimento e BI

Compartilhar no facebook
Facebook
Compartilhar no twitter
Twitter
Compartilhar no linkedin
LinkedIn
Compartilhar no email
Email
Compartilhar no print
Print

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.